Informativos

Ano: IV - Número: 1 - 03/2015

ASSEMBLEIA DA AMA

Está marcada para o dia 13 de abril próximo, às 13:30h, a Assembleia Geral da AMA nas dependências da Faculdades EST, prédio G, Sala 512, na cidade de São Leopoldo/RS.

LEMBRETE IMPORTANTE

Conforme informado no final do ano passado, as contribuições à AMA somente poderão ser lançadas no Imposto de Renda a partir de 2016, ano base 2015. Assim, no início do próximo ano a AMA enviará um comprovante a todos/as associado/as informando os valores, por CPF, a serem lançados no IR/2016.

E o “enfrentamento religioso” da doença?

Graças a Deus, nos últimos tempos, pessoas envolvidas com situações de doenças e que fazem parte do círculo de gente ligada à IECLB, têm podido dar testemunhos positivos a respeito da experiência com a AMA – Saúde. Tudo indica que achamos um bom e reto caminho de acesso e atendimento médico. Não tenho conhecimento de alguma pesquisa a respeito, hipoteticamente, porém, arrisco afirmar, com base, por exemplo, em relatos que aparecem na Rede de Oração, que até já estamos mais familiarizados com termos técnicos da área da saúde. Sabemos nomear cientificamente as doenças e abrimos o leque da nomenclatura de exames laboratoriais. Tudo indica que os associados e as associadas da AMA Saúde estão se colocando em dia com as atualidades médicas. Aprendi com a leitura do livro Medicina, Saúde e Espiritualidade: Encontro da Ciência e da Espiritualidade, de
Harold G. Koenig¹, o uso da expressão “campo de enfrentamento” para se referir ao uso da fé e da espiritualidade, especialmente quando convertidas em prática, em atividade religiosa, como estudos bíblicos, círculo de oração ou obra de caridade, para enfrentar um período de doença. O autor apresenta estudos que cruzam informações de pacientes sobre sua participação em atividades religiosas com os seus processos, por exemplo, de recuperação pós-cirúrgica. As conclusões indicam que quem crê (ativamente!), isto é, ora, de preferência em grupo, e participa em atividades religiosas altruístas tem vantagens em processos de cura sobre quem confessa não ter fé, não orar e não ter participação religiosa. No Novo Testamento existem muitos textos que falam de cura. Eles não só falam dela, mas a promovem. Nos evangelhos consegui listar 23 histórias de cura, que são
mencionados 44 vezes. Olhando para esses textos, sentimos que é comum nos Evangelhos fazer da fé e da espiritualidade, ou da prática religiosa, o campo de enfrentamento da doença.Os processos de cura ou estabelecimento de saúde representam oportunidades que desafiam o propósito de igrejas que pretendem ser seguidoras da comunidade cristã primitiva nos dias de hoje, pois Jesus curou pessoas e as primeiras comunidades continuaram fazendo isso. Não há, portanto, razão para em nossos dias as igrejas abandonarem esta ênfase da fé cristã².Uma pergunta que logo surge é: se os processos de cura têm tal importância, não deveria a manutenção da saúde estar no mesmo patamar? O empenho na construção e na manutenção de acessos eficientes a um bom tratamento médico em caso de doença justifica-se. O que não se justifica é a inércia diante da possibilidade de adoecer. O que você tem feito para não ficar doente? A AMA iniciou em 2014 um processo de reflexão sobre experiências de saúde preventiva em nossas comunidades. Encontros que tematizam e sistematizam o assunto tem sido realizado. E eles tem confirmado que melhor que uma experiência de cura é a experiência de não adoecer. Por isso a reflexão deverá continuar e ser aprofundada.Além do mais, o campo no qual travamos a batalha para manter e recuperar nossa saúde não pode ser fora do campo do exercício religioso. Consta que estamos pagando um bom plano de saúde. Significa que colocamos valor nele, que lhe damos a devida importância. Adotamos a prática do checkup. Significa que mesmo não nos sentindo doentes, marcamos hora para conversar com uma/a especialista, a quem já chamamos de nosso/a: neuro, rino, gastro, cardio, fisio, psico, uro, gineco, ... Resta perguntar: e o nosso teo?


Leonídio Gaede
Fevereiro de 2015


¹Segundo http://www.lpm.com.br/ , Dr. Koenig é o maior especialista no campo da espiritualidade e sua influência sobre a
saúde, com mais de 40 livros, 300 artigos científicos e 60 capítulos de livros publicados. Suas contribuições demonstram cada
vez mais o encontro da ciência com a espiritualidade.

²Cf. BRAKEMEIER, Gottfried. O Segredo do Milagre. São Leopoldo, Editora Sinodal. 2012