Informativos

Ano: VI - Número: 06 - 12/2017

COMUNICADOS FINAL DE ANO

Aos/às associados/as.


Colegas, irmãs e irmãos em Cristo:


Estamos em período de Advento, em que pela alegre expectativa da chegada do Menino Jesus que vem a nós a cada ano de maneira renovada, queremos olhar à frente com confiança.


Temos o seguinte a comunicar:

1. No dia 30 de novembro a Diretoria realizou sua última reunião do ano, ocasião para uma retrospectiva de 2017 e uma projeção, na medida do possível, para 2018.

2. Nossa próxima Assembleia está marcada para o dia 12 de março de 2018, em São Leopoldo – RS, em dependência da Faculdades EST. Ela está marcada em associação à reunião dos Pastores e das Pastoras Sinodais. É desejável também a participação mais ampla possível de nossos/as associados/as. Com a Faculdades EST estamos verificando a possibilidade de transmitirmos a Assembleia via internet.

3. Temos podido atender a contento quase todos os casos de saúde e temos recebido mensagens de agradecimento. Alegra-nos este reconhecimento. Alguns casos nos têm sido apresentados, em que o tratamento sugerido pelo respectivo médico do/a associado/a não está previsto pelos órgãos reguladores e é, por conseguinte, recusado pela UNIMED. Sempre procuramos um abrigo regulamentar para atender os casos, mas algumas vezes não nos vimos em condições de corresponder à expectativa do/a associado/a, pelos limites que devemos observar. Voltaremos a esse assunto na Assembleia.

4. Em face de alguns casos onerosos, há quem tenha o sentimento de haver privilégios para quem reside em grandes centros ou suas proximidades, com recursos mais sofisticados, hospitalares por exemplo. Ainda não encontramos uma modalidade de “compensar” isso adequadamente, pois exigiria examinar caso a caso, hospital por hospital, e, ainda, ter critérios justos de avaliação, o que é quase impossível. Ademais, potencialmente mesmo quem reside distante de grandes centros urbanos poderia vir a ter o infortúnio de necessitar de recursos neles existentes. Fica, porém, a preocupação permanente com a “justiça solidária” entre associados/as da AMA, princípio fundamental para nossa entidade.

5. Na Assembleia estaremos apresentando informações detalhadas sobre o desempenho da AMA durante 2017, também sua saúde financeira, incluindo auditorias contábil e atuarial, bem como parecer do Conselho Fiscal. Uma avaliação parcial referente a 2017 é positiva. Nos últimos anos tivemos um certo decréscimo nas reservas acumuladas nos primeiros anos, algo essencial para fazer frente a imprevistos. Em 2017 temos tido alguma recuperação dessas reservas, graças à negociação havida ao final de 2016 com a UNIMED e às decisões da assembleia realizada em Foz do Iguaçu, em março de 2017, bem como a medidas relacionadas à gestão da AMA.

6. Ainda assim, temos preocupações em relação a 2018. O reajuste da UPM da IECLB para 2018 é de 0,92%, o que baliza também o reajuste da subsistência ministerial. Já a Agência Nacional da Saúde (ANS) prevê um reajuste permitido de 13,55%.

7. A Assembleia de Foz do Iguaçu decidiu que o reajuste anual nas mensalidades da AMA seja de até o índice de reajuste máximo estabelecido pela ANS. Só muito a contragosto aplicaríamos um índice tão elevado, mas tampouco queremos colocar em risco a saúde financeira do própria AMA. Com a UNIMED, que pleiteia os 13,55%, ainda estamos em negociação, sem que saibamos neste momento qual o reajuste que ao final da negociação tenhamos que absorver. Mas com toda certeza será bem acima do índice de aumento da UPM na IECLB. Infelizmente.

8. Como seja, o índice que vier a ser pactuado com a UNIMED, incidirá sobre os custos a partir de janeiro. Assim, ponderando todos os aspectos, a Diretoria resolveu reajustar os planos provisoriamente em 5%. Assim, o boleto emitido em janeiro virá com esse reajuste que terá vigência até março de 2018, ficando o valor definitivo para o restante do ano a ser definido pela Assembleia, à base dos dados completos então disponíveis e de proposta da Diretoria. Caberá, assim, à Assembleia referendar ou alterar, seja para mais ou para menos, esse índice provisório.

9. Temos tido como entidade uma relação propositiva e de estreita cooperação com a Direção da Igreja, em particular a Secretaria Geral e a Secretaria do Ministério com Ordenação, pelo que somos gratos. Vimos, por exemplo, a necessidade de uma revisão cadastral de nossos/as associados/as e o permanente acompanhamento de sua situação no quadro ministerial da IECLB, pois mudanças nessa situação podem ter implicações para a concessão de descontos. O objetivo comum é manter os registros regularmente atualizados.


10. Esperamos e pedimos que os/as associados/as possam receber estas informações e decisões com compreensão, no sentido de que a Diretoria está empenhada em ser justa com todos/as os/as associados/as e de forma algum onerá-los/as em demasia, mas tampouco deseja correr o risco de comprometer a saúde financeira da AMA e com isso sua capacidade de atender devidamente a todos/as nas suas necessidades de saúde. 

 

No espírito natalino, da paz “que excede todo entendimento” e que nos vem “sub contrario” (Lutero) na fraqueza de um pobre menino, deitado não em “berço esplêndido”, mas numa humilde manjedoura (“na palha ele jaz”, HPD 24), saúdo a todos/as com votos de Feliz Natal e um Ano Novo sob a bênção divina.

 

Pastor Walter Altmann


Presidente